segunda-feira, 18 de julho de 2011

Ciclo Solar: Cientistas prevêm um dos mais intensos ciclos solares e suas consequências

Desde a época de Galileu, os astrônomos contam o número de manchas solares. Dessas observações puderam constatar que a cada 11 anos o nível da atividade solar aumentava e diminuia.
Outra observação, feita há pelo menos dois séculos, é que quanto maior era o número de manchas solares, mais erupções eram observadas na superfície do astro-rei e maiores eram as pertubações magnéticas causadas aqui na Terra.
Para facilitar os estudos, convencionou-se chamar este período de 11 anos, de ciclo solar.Quando a rajada de uma erupção solar atinge a Terra, o campo magnético do planeta treme.
Quando esse tremor é forte o suficiente, é chamado de tempestade geomagnética. Nos casos extremos causa quedas de energia elétrica e faz com que instrumentos de navegação apontem em direção errada. As auroras boreais e austrais são o lado mais belo das tempestades.

2010 a 2013

Atualmente estamos deixando o ciclo solar 23 e segundo as últimas previsões solares, o próximo ciclo atingirá seu pico de maior intensidade entre 2010 a 2013 e poderá ser um dos mais intensos desde que os registros começaram a ser feitos, há mais de 400 anos. A informação é do físico David Hathaway, ligado ao Centro Espacial Marshall, da Nasa.
A previsão, apresentada por Hathaway e seu colega Robert Wilson perante a União Geofísica Americana, está baseada em dados históricos das tempestades solares.
Hathaway e Wilson estudaram dados de atividades geomagnética registrados nos últimos 150 anos e segundo os cientistas, os valoresregistrados permitem inferir como será o nível da atividade geomagnética para os próximos 6 a 8 anos. A figura abaixo ilustra a análise.
No gráfico, as curvas em preto são os ciclos solares, a amplitude é o número de manchas solares. As curvas em vermelho são os índices geomagnéticos, especificamente o Índice de Variabilidade Entre-horários, conhecido como IHV. Segundo Hathaway, os índices são derivados de dados registrados por magnetômetros em dois pontos opostos do planeta, um deles na Inglaterra e outro na Austrália, e vêm sendo coletados desde 1868.A correlação entre o número de manchas solares versus o IHV, sugere o IHV para os próximos 6 anos. “Nós não sabemos como essa matemática de correlação funciona. Ainda é um mistério. Mas que funciona, funciona”, diz Hathaway.
De acordo com a análise proposta, o próximo ciclo solar atingirá seu máximo em 2010, com uma quantidade de manchas solares de aproximadamente 160. Isso deverá fazer deste ciclo o mais intenso dos últimos 50 anos, e um dos mais ativos já registrados.

Ciclo Solar

O Ciclo Solar é a variação de intensidade do vento solar e do campo magnético solar. Estudos de Heliosismologia comprovaram a existência de “vibrações solares”, cuja freqüência cresce com o aumento da atividade solar, acompanhando o ciclo solar que dura em média de 11 anos com mudança no ritmo das erupções, além da movimentação das estruturas magnéticas em direção aos pólos solares. Tais mudanças resultam em ciclos de aumento da atividade geomagnética da Terra e da oscilação da temperatura do plasma ionosférico na estratosfera de nosso planeta.

Prejuízos

Anualmente as explosões solares são responsáveis por aproximadamente 1 bilhão de dólares em prejuízos e quem mais sofre com essas perdas são as concessionárias de energia elétrica e equipamentos de satélites, que por estarem em órbita ,não recebem a proteção da camadas mais altas da atmosfera, que bloqueiam as partículas solares, principalmente os raios-x.

Explosão Solar

Também chamada de erupção, flare ou rajada, é uma explosão que acontece quando uma gigantesca quantidade de energia armazenada em campos magnéticos, geralmente acima das manchas solares, é repentinamente liberada.
Os “flares” produzem uma enorme emissão de radiação que se espalha por todo o espectro eletromagnético, e se propaga desde a região das ondas de rádio até a região dos raios X e raios gama. Como conseqüência temos as chamadas Ejeções de Massa Coronal, enormes bolhas de gases ionizados com até 10 bilhões de toneladas, que são lançadas no espaço a velocidades que superam facilmente a marca de um milhão de quilômetros por hora.
A previsão apresentada por Hathaway e sua equipe concorda com os modelos apresentados por Mausumi Dikpati, do Centro Nacional para Pesquisas Atmosféricas, em Boulder, Colorado, que combinam dados observacionais do Sol e sofisiticados modelos numéricos que estudam o interior do Sol.
A temperatura da terra depende do sol, que emite radiação em direção ao planeta. Esta radiação é a radiação solar, que em parte é refletida para o espaço e o restante é absorvido pela terra em forma de calor. Esta energia não chega à terra de maneira uniforme, apesar do sol ser uma estrela de classe G e ser muito estável, essa energia aumenta cerca de 10% a cada um bilhão de anos, ou seja, no início da vida na terra, quase quatro bilhões de anos atrás, a energia do sol era em torno de 70% da atual.
Outro tipo de variação da radiação solar ocorre em decorrência dos ciclos solares, que são mais importantes que a primeira, no que diz respeito à mudança do clima terrestre, visto que essa variação é uma oscilação e não somente um crescente e ocorre em períodos mais curtos.

El Niño e El Niña

o ciclo solar interage com a estratosfera e a superfície do ocenao e dessa forma cria padrões meterológicos e alteram o clima.
Os compostos químicos da estratosfera (parte superior da atmosfera) e a temperatura do oceano Pacífico são influenciadas pelo auge da atividade solar e pelos movimentos do ar. Daí as chuvas e ventos mais intensos, assim como alterações na temperatura do mar, nas regiões tropicais, acabando por influenciar o resto do mundo, como o El Niño.
Os fenômenos “El Niño” e “La Niña” são mudanças na temperatura da água de partes do Oceano Pacífico. A mudança da temperatura das águas influencia a intensidade dos Ventos Alísios que pode fazer com que massas de água quente, e massas de ar também, se desloquem no Pacífico de forma diferente dos registros das médias históricas.
As Variações de intensidade dos Ventos Alísios influenciam a pressão atmosférica no oceano, afetando vários fenômenos climáticos em todo o mundo.
Quando o Sol atinge um máximo de atividade, aque­ce as regiões livres de nuvens no Oceano Pacífico o suficiente para aumentar a eva­po­ração, intensificando as chuvas tropicais e os ventos alisios,e resfriando o Pacífico Leste nos trópicos.
Há anos os cientistas sabem que as variações solares de longo prazo afetam cer­tos padrões climáticos, inclusive secas e temperaturas regionais. Porém estabe­lecer uma ligação física entre o ciclo solar de uma década e os padrões climá­ticos, se mostrou uma tarefa difícil. Uma das razões para isso é que só nos últi­mos anos os modelos computadorizados se tornaram capazes de simular de ma­nei­ra realística os processos associados com o aquecimento e resfriamento das águas do Pacífico Tropical associados com El Niño e La Niña. De posse deste novo modelo, os cientistas podem reproduzir o comportamento do Sol no último século e verificar como ele afeta o Pacífico.
Para estressar essas conexões, por vezes sutis, entre o Sol e a Terra, os cientistas analisaram as temperaturas da superfície do mar de 1890 a 2006. Então, usaram dois modelos de computador do NCAR para simular a resposta dos oceanos a essas mudanças na emissão do Sol. Eles descobriram que, quando as emissões do Sol atingem um pico, a pequena quantidade extra de energia solar, ao longo de vários anos, causa um pequeno aumento no aquecimento local da atmosfera, especialmente nas regiões do Pacífico tropical e sub-tropical, onde normalmente a cobertura de nuvens é escassa.


Referências:
http://ambiente.kazulo.pt/9874/como-o-ciclo-solar-influencia-o-clima.htm
http://instinctalternative.blogspot.com/2009/12/impacto-da-mudanca-climatica.html
http://scienceblogs.com.br/chivononpo/2009/07/ciclos_solares_e_o_clima_na_te.php
http://www.py3mp.com/?p=1860

COMETA ELENIM - UM FACTO REAL QUE TRANSPORTA MEDO PARA A VIDA HUMANA

Descoberto em 10 de dezembro de 2010 pelo astrônomo russo Leonid Elenin, o objeto C/2010 X1 Elenin é um cometa com período orbital de aproximadamente 11.500 anos e foi visto pela primeira vez através de um dos telescópios robóticos do International Scientific Optical Network, instalado no Novo México, EUA.
Quando foi descoberto, Elenin apresentava magnitude aparente de 19.5, cerca de 150 mil vezes menos brilhante que o limiar de 6.5 da visão humana, lembrando que quanto maior a magnitude, menor o brilho de um objeto. De acordo com o descobridor Leonid Elenin, seu núcleo tem entre 3 e 4 quilômetros de largura.
Apesar da elevada magnitude (pouco brilho) do dia do descobrimento, sua intensidade luminosa se elevará à medida que se aproxima da Terra e do Sol. Segundo as estimativas, Elenin atingirá a magnitude 4  em outubro de 2011, quando passará a 34 milhões de quilômetros do nosso planeta, sendo facilmente visível sem ajuda de instrumentos. Antes disso, porém, o cometa poderá ser visto bem antes, desde que o observador possua um pequeno binóculo ou telescópio.
De acordo com a Rede de Astronomia Observacional REA-Brasil, os parâmetros fotométricos sugerem que Elenin poderá ser mais brilhante e deverá alcançar a magnitude 3.5 em setembro de 2011. Se os dados forem confirmados, já a partir de julho o cometa atingirá a magnitude 10 e será visto na constelação de Leão, logo após o anoitecer.
À medida que se aproxima, o cometa aumentará rapidamente de intensidade luminosa e em agosto brilhará na 8ª magnitude, entre as constelações de Virgem e Leão.
Em 4 de setembro Elenin atingirá o periélio, o ponto de maior aproximação com o Sol, quando então seu brilho será de magnitude 3.5. Alguns dias depois, entre 12 e 15 de setembro, o objeto poderá ser visto cruzando as lentes do instrumento Lasco C3, a bordo do telescópio espacial Soho.
É importante lembrar que os cometas são muito imprevisíveis e podem apresentar comportamentos bastante bizarros à medida que se aproximam do Sol. Entre os fenômenos já observados está o outburst, quando repentinamente se rompem e produzem inúmeros fragmentos brilhantes. Além disso, devido à pressão do vento solar a cauda cometária também pode variar muito de tamanho.

Grandes possibilidades de tragédias

 

A aproximação máxima entre o Elenin e a Terra ocorrerá no mês de outubro. No dia 17 de outubro, O Elenin estará a 0.232 A.U da Terra, considerando como 1 AU a distância aproximada entre a Terra e o Sol.
Tivemos acesso a um material muito interessante, o qual afirma que, toda vez que o Elenin se alinha com a Terra e o Sol, ocorrem grandes sismos em nosso planeta. A princípio, quando lemos essa informação, suspeitamos da veracidade dela, porém, acessando o próprio simulador da NASA, vimos que o estudo é bem procedente. O simulador da trajetória do cometa Elenin pode ser encontrado no seguinte endereço: http://ssd.jpl.nasa.gov/sbdb.cgi?sstr=elenin;orb=1;cov=0;log=0;cad=0#orb

Os perigos dos alinhamentos

Agora vejam a sequência de alinhamentos do cometa Elenin com o Sol e a Terra, comparem com os fenômenos sísmicos que têm ocorrido e decidam se é simples coincidência ou se esse corpo celeste, de alguma forma que ainda não é compreendida em profundidade pela ciência, está contribuindo para gerar grandes tremores na Terra.
1] No dia 27 de fevereiro de 2010 houve um alinhamento entre o Elenin, o Sol e a Terra. Naquele dia ocorreu um terremoto de 8,8º no Chile, gerando, inclusive, um tsunami no Pacífico. Segundo dados da própria NASA, naquele dia o Elenin estava a uma distância de 6.03 AU da Terra.
2] No dia 3 de setembro de 2010, o Elenin se alinhou com o Sol e Terra a uma distância de 6.26 A.U. da Terra. Naquele dia, houve um terremoto de magnitude 7,1º na cidade de Christ Church (Nova Zelândia).
3] No dia 11 de março de 2011 houve o grande terremoto no Japão, com tsunami. Daquele mesmo dia até do dia 15 de março de 2011, o Elenin apresentou um alinhamento com o Sol e a Terra a uma distância aproximada de 2.14 AU da Terra.
Então, vale a pena ficar atento. Os próximos alinhamentos previstos, desta vez a distâncias muito menores, posto que o Elenin se encontra cada vez mais próximo da Terra e alcançará sua proximidade máxima em outubro, são:
1] Entre 25/09/11 a 28/09/11. Nesse (s) dia (s), o cometa Elenin faz um alinhamento com a Terra e o Sol a uma distância de aproximadamente 0.367 AU de nosso planeta. Curiosamente, Mercúrio também fica alinhado nestas datas.
Nota: Agora imagina, será a menor distância da Terra, se nos aliamentos anteriores houve estes sismos de alta manigtude, imagine a distância aproximadamente de 0.367 AU, se isto não for uma coincidência, podemos esperar algo de grave nestes dias.
2] Entre os dias 22/11/11 e 24/11/11 a uma distância de 0.6 AU da Terra.

Atividades sísmicas

Mesmo que cometa Elenin só tenha sido descoberto em Dezembro de 2010, pelo astrônomo amador russo, Leonid Elenin, sua passagem pelo sistema solar pode ser rastreada de volta quando entrou no sistema solar por um software de rastreamento em órbita, que é o JPL da NASA. Algo notável foi encontrado por um cientista da terra bósnia que acompanhou a passagem orbital do Elenin quando em sua volta em 2006.
O Dr Mensur Omerbashich descobriu que o Elenin, estava alinhado com a Terra e com outros planetas, quando os grandes sismos começaram a acontecer. Em um artigo publicado num arquivo de cunho científico, ele apresenta os alinhamentos mais significativos do Elenin e alega que estejam ligados diretamente as atividades sísmicas na Terra.
A descoberta notável, pelo Dr. Omerbashich sugere que o Elenin é algo muito grande, com uma enorme massa e campo gravitacional capaz de influenciar os acontecimentos sísmicos na Terra a uma distância muito longa que remonta o ano de 2006. O tamanho e a massa do Elenin poderia ser ainda tão grande como uma estrela anã marrom por estar se aproximando do interior do sistema solar. Em 1983, o Washington Post e o New York Times publicou artigos sobre um grande e misterioso planeta X, que poderia ser uma anã marrom, que fazia parte do nosso sistema solar.
Não estamos afirmando nada. Apenas destacando que esses dados são interessantes e merecem ser estudados e lembrando que a trajetória do Elenin, exposta às variáveis cósmicas, pode sofrer modificações também.
A profecia bíblica fala claramente de “sinais do céu” nos últimos tempos e de grandes comoções cósmicas. Vale a pena ficarmos atentos ao que está ocorrendo lá fora
Para observar o cometa Elenin, tudo que você precisará será de um pequeno binóculo ou telescópio, além de um campo de visão desobstruído na direção do quadrante oeste, ou seja, do lado que o Sol se põe. Como explicado, a partir de julho o cometa já poderá ser visto ainda que com pouco brilho, que aumentará lentamente até setembro.

Referências: http://www.apolo11.com/cometa_73p.php?titulo=Binoculos_e_telescopios_a_postos._Vem_ai_o_cometa_Elenin!&posic=dat_20110406-105919.inc
http://celiosiqueira.blogspot.com/2011/06/o-evento-e-o-cometa-elenin-ficcao-ou.html
http://www.projetoomega.com/home.htm

terça-feira, 12 de julho de 2011

Duas são


temos duas portas aqui neste mundo para atravessar!!

só que por muitas vezes, não nos dão escolha ...

a maldade humana prevalece aqui onde está

neste planeta sem saída, a não ser a morte!!

e, enquanto não chegármos à conclusão que o outro sou eu mesmo, e que tem também o direito à vida que eu quero para mim, iremos sentir a dor que nos separa de outros mundos ... e não conseguiremos atravessar a porta que todos queremos !!

Pela pátria





quem os obrigou?


quem os levou, separou-os do seu mundo, na mentira que defendiam a sua pátria?


quem lhes retirou anos de vida, e a própria vida, jugando-os num terreno desconhecido onde o  medo era a única coisa que lhes prevalecia dia a dia e lhes fazia avançar, na dor atroz que sentiam?


que pátria entrega os seus filhos para o sofrimento, físico e mental, para conquista de um pedaço de terreno que não se vê, não se sente na alma humana?


para conquista do seu orgulho, da sua vaidade, retirando à sua própria espécie a dignidade da vida?


quem os matou, em vida, ou entregando-os à morte  sem qualquer escrúpulo quando esses mesmos estavam gozando as regalias dessa própria vida que lhes foi retirada?


quem foram eles, quem são?


apenas nada neste mundo, só que eles não o sabiam ....

. . Tempestade espacial . .


poderá ser catastrófica até 2012


Um novo estudo mostrou que uma grande tempestade solar poderá trazer consequências assustadoras para a humanidade.



Danos à rede de força e sistemas de comunicação poderão ser catastróficos, os cientistas concluíram, com efeitos que podem levar ao descontrole governamental da situação.



As previsões são baseadas em uma grande tempestade solar de 1859 que fez com que os fios dos telégrafos entrassem em curto nos EUA e Europa, levando a grandes incêndios. Possivelmente foi a pior em 200 anos, de acordo com um novo estudo. Com o advento das redes de energia, comunicação e satélites atuais temos muito mais em risco.



“Uma repetição contemporânea do evento [de 1859] causaria distúrbios sócio-econômicos significativamente mais extensos”, concluíram os pesquisadores.



A cada 11 anos, quando o sol entra na sua fase mais ativa, ele pode enviar tempestades magnéticas poderosas que desligam satélites, ameaçam a segurança dos astronautas e até interrompem sistemas de comunicação na Terra. As piores tempestades atuais derrubam redes de energia ao induzir correntes que derretem os transformadores.



Apenas nos EUA uma grande tempestade solar — que costuma ocorrer uma vez a cada 100 anos — pode deixar 130 milhões de pessoas sem eletricidade, de acordo com o estudo. Outros sistemas vitais seriam afetados por estas faltas de energia elétrica.



O mundo vai acabar em 2012



Os impactos da falta de eletricidade, por exemplo, acabariam com a distribuição de água potável em questão de horas, alimentos e medicamentos perecíveis seriam perdidos entre 12 e 24h; serviços de esgoto, telefones, transportes, abastecimento de combustíveis seriam interrompidos, etc.



A energia poderia levar meses para ser restabelecida, segundo a pesquisa. Durante este período os bancos poderiam estar fechados e o comércio internacional seria suspenso.



“Sistemas de emergência seriam levados ao limite e o controle e comando poderiam ser perdidos”, escreveram os pesquisadores da Universidade do Colorado, nos EUA.



“Sejam catástrofes terrestres ou incidentes do clima espacial, os resultados podem ser devastadores para as sociedades modernas que dependem, de uma miríade de modos, em sistemas tecnologicamente avançados”, os cientistas afirmaram em uma declaração divulgada junto com o relatório.



Tempestades solares têm efeitos significativos nos dias modernos. Em 1989 o sol emitiu uma tempestade que derrubou a rede elétrica de toda Quebec, no Canadá. Em 2003, em um período de duas semanas, dois satélites foram desabilitados e instrumentos em uma sonda que orbita Marte foram danificados por tempestades solares.



O clima espacial pode produzir tempestades eletromagnéticas solares que induzem correntes extremas em fios interrompendo linhas de força, causando apagões generalizados e afetando cabos de comunicação da internet. Clima espacial severo produz partículas solares energéticas e desloca os cinturões de radiação da Terra, o que danifica satélites usados para comunicações comerciais, GPS e previsão do tempo.



O próximo pico da atividade solar é esperado em 2012. Atualmente o sol está ‘tranquilo’, mas a atividade pode aumentar em qualquer momento e clima espacial severo (o quão severo será ninguém sabe) irá emergir um ou dois anos antes do pico.



Alguns cientistas pensam que o próximo pico levará a eventos mais severos do que outros picos recentes.



“Uma falha catastrófica da infra-estrutura governamental e comercial, no espaço e no chão, podem ser mitigadas ao aumentar a consciência pública, melhorando a infra-estrutura vulnerável e desenvolvendo capacidades avançadas de previsão do clima [solar]“, o relatório afirma.



O relatório foi delegado e financiado pela NASA. Especialistas em indústria e governo, assim como acadêmicos, de todo o mundo, participaram. [Live Science]



Fonte:

Live Science: http://livescience.com/

HypeScience, link: http://hypescience.com/tempestade-espacial-sera-catastrofica-para-a-terra/

Sabedoria divina

"Ter acesso à sabedoria divina é um assunto de almas e não de corporações ou instituições".

"Não podemos mais brincar de ser gente grande em nosso quintal de idéias e ilusões, enquanto há um mundo para cuidar,
um sonho para realizar, um planeta doente para salvar".

“O caçador busca a caça, a criança busca a mãe e o buscador da luz busca seus próprios defeitos e falhas em si mesmo”.
Paulo Veneziano, Maha Chohan

“O caminho da luz, que é o caminho da evolução, é responsável pela felicidade. Entretanto, para isso, cada um deve enfrentar e assumir sua própria
escuridão. Eu passei por isso, Jesus passou, Gautama passou, muitos outros passaram e você passará, cedo ou tarde;
cabe a você buscar e acelerar esse maravilhoso processo”.
Mestre Hilarion, Instrutor do Mundo

"Eu honro o lugar no Universo, que é de paz, alegria, amor e sabedoria.
Eu honro o lugar em você onde todo o universo habita...
E quando você está neste lugar em você e eu estou neste lugar em mim ,
Nós somos Um! "

AFIRMAÇÕES EM PROL DA PAZ

EM NOME E COM O PODER DA LUZ DE NOSSOS CORAÇÕES AFIRMEMOS mental ou verbalmente:

“EU SOU” o poder espiritual da PAZ, do AMOR, da UNIÃO vibrando em todos os corações humanos...

“EU SOU” o poder cósmico espiritual da PAZ, do AMOR, da UNIÃO, da PROSPERIDADE, manifestando-se em todo o orbe terrestre...

“EU SOU” o poder cósmico espiritual da PAZ, do AMOR, da UNIÃO, da PROSPERIDADE, da JUSTIÇA e da LIBERDADE, assumindo em definitivo o governo de todas as nações...

MULTIDÕES VAGAM NA TERRA SEM OPÇÃO, SEM O DIREITO DE ESCOLHER O PRÓPRIO DESTINO... QUE DEUS LHES CONCEDA A OPORTUNIDADE DE RESGATAR SUA VIDA E SUA PRÓPRIA DIGNIDADE.

Que assim seja.

Matando sem coração e sem respeito

Matando sem coração e sem respeito

Onde CHEGÁMOS ...

Onde CHEGÁMOS ...

Postagens populares

Número total de visualizações de página